segunda-feira, 9 de março de 2009

Viajar de ônibus: um mal necessário.


Essa semana vou pegar um ônibus e viajar 8 horas durante a noite para cidade que eu moro. Mas por que eu estou escrevendo sobre isso? Pra desabafar mesmo, pois eu sou super anti-social dentro de um ônibus de viagem.


O problema é que as pessoas conseguem ser muito folgadas. Os homens principalmente. Eles sempre abrem as pernas demais e acabam tomando metade do seu banco. Já teve até uma vez que um cara levantou o "braço" que dividia a poltrona dele da minha nem sei por quê. Só sei que tive que ser muito enérgica e fazer cara feia para abaixar o "braço" de novo e mostrar que se existe uma divisão esta deve ser respeitada.


Sem falar no ronco. As pessoas que roncam deveriam ser proibidas de viajar à noite. Ou então deveriam ter ônibus exclusivos para elas. Pois não sei se você já percebeu mas quem ronca nunca acorda com o ronco alheio. E eu constatei isso viajando num ônibus que parecia uma sinfônia. Horrível.


Enfim, como as passagens de avião ainda são caras e eu também não tenho condução própria, infelizmente ainda dependo do ônibus pra viajar. A única saída é tentar pegar um leito na promoção e ir num banco da fileira de cadeiras unitárias (o sonho de qualquer pessoa que vive dentro de um ônibus de viagem), ou se não conseguir um leito, rezar para ninguém ir do seu lado. Também ajuda a suportar a viagem levar um bom livro para os momentos de insônia e muita música legal dentro de seu mp3, Ipod, walkmen, ou qualquer outra coisa que faça barulho e que não incomode seu vizinho.


No mais, boa viagem pra quem vive na estrada, me desculpe os roncadores mas realmente isso é muito chato, e desejo toda educação do mundo para os folgados de plantão.



Por. S. Alterego.

Um comentário:

Conte-nos tudo!